Poder Goiás

Goiânia, 17/10/21
Matérias
Divulgação

Durante seu discurso, o presidente do MDB estadual Daniel Vilela reforçou que, juntos, os dois partidos não vão deixar que “Goiás ande para trás”

Farpas contra Marconi e Mendanha permeiam discursos em evento DEM-MDB

24/09/2021 · Por Eduardo Horacio

Mais de uma dezena de oradores revezaram-se durante quase três horas no ato político que selou a aliança entre o MDB e o governador Ronaldo Caiado (DEM). Entre muitos afagos ao governador e elogios à trajetória do MDB em Goiás, dois alvos permearam os discursos: o atual prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha, avesso à aliança, e, principalmente, o ex-governador Marconi Perillo (PSDB).

As principais críticas foram direcionadas ao ex-governador Marconi Perillo, que governou Goiás por quatro mandatos e foi derrotado em 2014 na disputa por uma vaga no Senado. Mesmo sem ser citado nominalmente, o ‘fantasma’ de Marconi pairou sobre o ato político. Nos discursos a tônica era a mesma: evitar um retrocesso político em Goiás. O retrocesso, claro, ocorreria com um retorno, mesmo que indireto, do tucano ao poder.

Durante seu discurso, o presidente do MDB estadual Daniel Vilela reforçou que, juntos, os dois partidos não vão deixar que “Goiás ande para trás”. O emedebista também falou em ausência de espírito público e herança negativa para o Estado, em referência às gestões do PSDB em Goiás.  

Já o governador Ronaldo Caiado (DEM) foi mais duro na avaliação: “Nos enfrentamos em 2018, mas qual era o adversário comum do povo goiano? Era a corrupção, os escândalos, o desvio do dinheiro público, a má gestão implantada onde órgãos públicos serviam muito mais para enriquecimento ilícito do que para fazer chegar a saúde, a segurança, a educação e os programas sociais aos 7,2 milhões de goianos”, atacou.

Farpas
“Passarinho que anda com morcego dorme de cabeça para baixo”, afirmou Daniel Vilela. Apesar de não citá-lo diretamente, a crítica do emedebista refere-se à propalada proximidade entre o prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha, e o ex-governador Marconi Perillo. Contrário à aliança, o prefeito deve deixar o MDB nos próximos dias.

Já o deputado estadual Bruno Peixoto, líder do governo na Assembleia Legislativa, fez referência mais direta ao prefeito. “Aquele de Aparecida (de Goiânia) é ingrato. Tem como orientador o Marconi. Se fosse irmão político do Daniel, estaria aqui. Nós estamos do lado do bem, não do mal”, afirmou o parlamentar, numa visão maniqueísta do quadro político goiano.


Eleições 2022 MDB DEM Ronaldo Caiado Daniel Vilela Aliança Evento