Poder Goiás
Goiânia, 07/04/20
Matérias
Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

UFG, cujo reitor é Edward Madureira, adotará novas medidas de racionamento e redução de serviços

Bolsonaro mantém bloqueio e UFG volta a alertar que vai parar por falta de recursos

12/07/2019 · Por Pedro Lopes

 A universidade Federal de Goiás (UFG) anunciou que irá adotar novas medidas de racionamento e redução de serviços em função do bloqueio de 30% dos recursos do governo federal. A instituição, no entanto, afirma que as medidas podem não ser suficientes para manter as atividades de ensino, pesquisa e extensão e poderá ter que parar por falta de recursos.

"A única coisa que se sabe é que, com a verba disponível, não dá para chegar ao final do segundo semestre", afirma a nota distribuída nesta quarta-feira, 10. A reitoria disse que estariam reservados cerca de R$ 39 milhões para os próximos meses, valor considerado a metade do orçamento anual previsto em lei para a instituição. Desse total, R$ 27 milhões estão bloqueados. 

O número representa um déficit de 69% para o pagamento de serviços essências, como energia, água, segurança e limpeza, além do pagamento de parte das bolsas de ensino, pesquisa e extensão a alunos de graduação e de pós-graduação. 


UFG Jair Bolsonaro MEC