Poder Goiás
Goiânia, 17/09/19
Matérias
Foto: Paulo José/Divulgação

Além da futura recuperação asfáltica de 107 bairros, a prefeitura já está asfaltando 30 bairros em Goiânia

Saiba como Iris gastará os R$ 780 milhões extras para tocar obras em Goiânia

19/06/2019 · Por Eduardo Horacio

Foi aprovado nesta terça-feira, 18, na Câmara de Vereadores em segunda e última votação, o projeto de lei (192/2019) que autoriza o prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB) contrair um empréstimo de R$ 780 milhões junto à Caixa Econômica Federal para tocar 10 obras prioritárias. O projeto recebeu 31 votos favoráveis e apenas um contrário, do vereador Lucas Kitão, PSL. 

Com o recurso, o prefeito Iris Rezende tira do papel várias obras prioritárias até o ano que vem: dois viadutos, sendo um no encontro da Marginal Botafogo com a Avenida Jamel Cecílio, no Jardim Goiás e outro que vai ligar o Jardim Goiás, na altura da Enel, ao Jardim Novo Mundo. Também serão reconstruídos 630 km de asfalto de ruas e avenidas de cerca de 107 bairros da Capital. Estão na lista, também, o término das obras de 14 Cmeis que foram paralisadas nas gestões anteriores, as obras de continuação da Avenida Leste/Oeste e o asfaltamento de 29 bairros que ainda não contam com o benefício.

A conclusão da linha do BRT Norte-Sul (o que inclui a trincheira na Rua 90 e o novo Terminal Isidória), conclusão do Parque Macambira-Anicuns, construção de ponte na Avenida Alpes e Praças no Jardim Cerrado e Buena Vista já contam com outros meio de financiamento e não entram no pacote desta operação de crédito. 

O empréstimo só foi possível após a Secretaria de Tesouro Nacional (STN) melhorar a nota fiscal da Prefeitura de Goiânia, chamada de Capacidade de Pagamento (Capag), da letra C para a letra B. Com isso, o município recupera o direito de solicitar empréstimos. 

O índice de endividamento do Município é um dos menores entre todas as capitais do País, alcançando cômodos 21,77% da Receita Corrente Líquida. Pela resolução do Senado Federal, todo e qualquer município do Brasil pode contrair empréstimos até o limite de 120% da sua receita corrente líquida.

Mesmo contraindo tais recursos junto à Caixa, o índice da Dívida Consolidada Líquida de Goiânia continuará muito cômodo, não ultrapassando 35% da sua Receita Corrente Líquida.


Prefeitura de Goiânia Iris Rezende Caixa Econômia Federal Viadutos Câmara de Vereadores