P U B L I C I D A D E
Poder Goiás
Goiânia, 30/09/20
Matérias
Foto: Divulgação

Ibaneis e Caiado: região do Entorno do DF é a que mais vai perder com a briga dos dois governadores

Inédita entre governadores, briga entre Caiado e Ibaneis prejudica Entorno do DF

18/06/2019 · Por Eduardo Horacio

Em pouco mais de seis meses no exercício de seus mandatos, os governadores de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM) e do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), passaram de aliados a adversários declarados. A inexperiência de ambos no cargo e sucessivos episódios de embates minaram a relação. 

A briga pública entre os governadores do DF e Goiás é inédita. Historicamente, políticos do Distrito Federal e de Goiás mantiveram relações de proximidade. O exemplo mais emblemático é o do ex-governador Joaquim Roriz, que manteve proximidade com ferrenhos adversários em Goiás. 

Nomeado pelo então presidente José Sarney, em 1989, o goiano Joaquim Roriz foi também o primeiro governador eleito do Distrito Federal, na sucessão estadual de 1990. De lá para cá, sempre que Roriz esteve à frente do governo do DF, manteve boa relação com seus colegas goianos.

Quando Joaquim Roriz tornou-se governador eleito, Iris Rezende voltou ao governo de Goiás. Entre 1991 e 1994, mantiveram proximidade nas gestões do Distrito Federal e de Goiás com diversas ações conjuntas.

Após quatro anos de administração de Cristovam Buarque (PT) no DF, Joaquim Roriz voltou ao governo em 1999 e lá permaneceu por dois mandatos. No mesmo período, Marconi Perillo foi eleito e reeleito governador de Goiás. Roriz e Perillo mantiveram proximidade administrativa – mesmo pertencendo a grupos políticos opostos. Antes disso, Cristovam Buarque e Marconi também tiveram boa relação e algumas parcerias. 

Após o declínio de Roriz, Marconi seguiu com agenda próxima aos governadores do DF. Foi assim com Agnelo Queiroz (PT), e Rodrigo Rollemberg (PSB). Alcides Rodrigues, que governou Goiás entre 2006 e 2010, foi majoritariamente contemporâneo de José Roberto Arruda. Os dois também mantiveram trabalho harmônico.

Guerra atual
Se Iris, Marconi e Alcides mantiveram administrações próximas dos governadores do Distrito Federal, em seis meses Caiado colocou essa relação em xeque. O governador goiano até ensaiou aproximação com Ibaneis, mas o relacionamento degringolou rapidamente. Foram diversos episódios de divergências públicas entre os dois.

Quando Caiado decidiu colocar um freio nos incentivos fiscais, Ibaneis Rocha passou a assediar as empresas instaladas em Goiás. Foi o primeiro desencontro entre eles. Em seguida, Caiado tentou articular o repasse aos municípios do Entorno de uma porcentagem do Fundo Constitucional do Distrito Federal, o colega do DF vetou a iniciativa.

Caiado e Ibaneis também se desentenderam sobre o teor de uma carta de governadores em apoio à reforma da Previdência e voltaram a se estranhar com a decisão do governador do DF de manter agendas em municípios goianos, mesmo sem a presença do colega. 

O embate mais ácido ocorreu quando Ibaneis participou de viagem experimental de uma linha de trem que ligará Brasília a Valparaíso de Goiás, a convite do Ministério do Desenvolvimento Regional. Esse episódio terminou com xingamentos e relações cortadas.

Reflexos
Mesmo quando os governadores do Distrito Federal e de Goiás mantinham excelente relacionamento e agendas casadas no Entorno, a região sofreu com problemas de infraestrutura (transporte público, saúde, saneamento...) e que se avolumaram com o passar dos anos – sobretudo pelo crescimento desenfreado das cidades próximas à Capital Federal.

Se com entendimento político os problemas não foram superados, como imaginar as consequências para uma região interligada com governadores em pé de guerra? Políticos da região, entre eles deputados e prefeitos, querem esfriar primeiro os embates para em seguida ensaiar uma tentativa de reaproximação.

Esses mesmos políticos avaliam, em privado, que uma das principais dificuldades de superação da crise atual é a imaturidade de Caiado e Ibaneis, ambos governadores de primeiro mandato. Se eles irão superar as divergências e, enfim, conseguir implantar agenda profícua para a região do Entorno, só o tempo dirá. 


Ronaldo Caiado Ibaneis Rocha Entorno do DF