P U B L I C I D A D E
Poder Goiás
Goiânia, 02/04/20
Matérias
Foto: Divulgação

Fachada do IFG, no Centro de Goiânia: cortes podem inviabilizar ensino federal neste ano

Após corte de verbas, institutos federais se reúnem com ministro da Educação dia 10

06/05/2019 · Por Eduardo Horacio

Alvo de cortes de 30% em seu orçamento após decisão do Ministério da Educação (MEC), os Institutos Federais devem se reunir com o titular da pasta, Abraham Weintraub, na próxima sexta-feira, 10, por meio do Conselho das Instituições da Rede Federal (Conif). 

No Estado, foram atingidos pelo bloqueio das verbas de custeio o Instituto Federal de Goiás (IFG) e o Instituto Federal Goiano (IF Goiano), além da Universidade Federal de Goiás (UFG) – que corre o risco de ter seu ano letivo inviabilizado após o repasse de R$ 32 milhões ser suspenso. 

Em nota, o reitor do  IF Goiano, Vicente Pereira de Almeida, informou que os gestores dos institutos estão mobilizados “para sensibilizar o governo no propósito de reavaliar o bloqueio das dotações orçamentárias.” 

Ainda de acordo com ele, se a limitação orçamentária for mantida após o encontro do dia 10, serão traçadas estratégias para enfrentar a nova realidade financeira. “As dificuldades financeiras que dificilmente serão superadas com tamanho contingenciamento. Nossa preocupação central é não prejudicar o andamento das atividades dos nossos alunos”, afirmou. 

Além da audiência do Conif com o ministro, no dia 16 de maio será realizada uma reunião entre o chefe do MEC e os reitores que compõem a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições de Ensino Superior (Andifes).

Cortes e “balbúrdia”
O bloqueio de verbas às universidades e institutos foi anunciado no último dia 29 de abril. Inicialmente, a medida afetaria três instituições: a Universidade de Brasília (UnB), a Federal da Bahia (UFBA) e a Federal Fluminense (UFF). Elas promoveriam, segundo o Ministério da Educação (MEC), “bálburdia” em seus campus. Após a repercussão, o corte foi ampliado às cerca de 100 instituições que foram a rede de ensino federal.


IFG UFG MEC Abraham Weintraub Jair Bolsonaro