Poder Goiás

Goiânia, 16/04/21
Matérias
Foto: André Saddi

A SES informa que os responsáveis pelas notificações devem registrá-la e mantê-la atualizada nos sistemas oficiais de notificação

Mais de 406 mil doses repassadas pelo Estado aos 246 municípios goianos não foram aplicadas ou registradas no Ministério da Saúde

07/04/2021 · Por Eduardo Horacio

O atraso de alguns municípios goianos em preencher o cadastro de vacinação disponibilizado pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-GO) deve estar comprometendo a quantificação e divulgação do número real de imunizados contra a Covid-19, segundo assessoria da Secretaria. Até a data de hoje, 406.665 das doses enviadas não estão registradas ou não foram aplicadas pelos municípios.

Desta forma, os dados disponibilizados pelo Ministério da Saúde e reproduzidos pela imprensa acabam não representando a realidade da vacinação no Estado de Goiás. A Secretaria Estadual de Saúde informa que disponibiliza notificações com o número total de doses (D1 e D2) distribuídas, bem como o percentual de doses não utilizadas ou não registradas pelos municípios. Já foram distribuídas 1.031.380 doses aos 246 municípios, responsáveis pela aplicação e registro no sistema do Ministério da Saúde.

A SES-GO diz que tem realizado gestão transparente dos dados referentes aos casos de covid-19.  O boletim com as notificações da SES-GO é público e está informatizado, o que facilita o processamento dos dados a partir dos sistemas do Ministério da Saúde (e-SUS VE e Sivep Gripe).

A SES ainda informa que os responsáveis pelas notificações devem registrá-la e mantê-la atualizada nos sistemas oficiais de notificação. Desta forma, se cada município realizar a correta atualização, os dados serão democratizados e disponibilizados para a população de forma correta, conveniente e oportuna. A SES vai notificar os municípios que não atualizarem o número de doses aplicadas no sistema e podem receber menos doses nas próximas levas enquanto não identificar o que foi feito com essas doses. 


Secretaria Estadual de Saúde Covid-19 Vacinação Ronaldo Caiado Ministério da Saúde