Poder Goiás

Goiânia, 16/04/21
Matérias
Foto: Alex Malheiros/Fieg

Segundo texto divulgado por sua assessoria, "Mabel disse que a aprovação do projeto foi uma grande conquista, mas precisa ser modificada no Senado por conta da vinculação de 50% ao SUS, que foi mantida na última hora"

Sandro Mabel sobre projeto das vacinas: ‘Vamos trabalhar para retirar obrigação de doação ao SUS’

07/04/2021 · Por Eduardo Horacio

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Sandro Mabel, se manifestou por meio de press-release sobre o projeto de lei aprovado pela Câmra dos Deputados que permite empresas furarem fila das vacinas. O texto-base do projeto de lei flexibiliza a compra de vacinas pela iniciativa privada. Na prática, o projeto vai permitir que empresários furem a fila e se vacinem antes de pacientes com diabetes, doenças cardiácas e problemas respiratórios. A ideia, na teoria, é permitir que as empresas adquiram doses para imunizar os funcionários, desde que doem ao Sistema Único de Saúde (SUS) a mesma quantidade aplicada nos empregados. Mabel, no entanto, é a favor de "piorar" ainda mais o projeto. 

Segundo texto divulgado por sua assessoria, "Mabel disse que a aprovação do projeto foi uma grande conquista, mas precisa ser modificada no Senado por conta da vinculação de 50% ao SUS, que foi mantida na última hora". Ou seja, nem a doação de metade das vacinas ao SUS deveria existir, na opinião de Mabel. "Alcançamos uma grande vitória e agora vamos trabalhar para retirar a obrigação da doação ao SUS, mesmo porque cada vacina comprada pelas empresas já é doação ao SUS, uma vez que reduz o universo a ser imunizado", disse Sandro Mabel. No texto divulgado por sua assessoria, Mabel ainda se diz "um dos principais articuladores da aprovação do projeto de lei". 


Sandro Mabel Fieg Vacinação Covid-19