Poder Goiás

Goiânia, 03/03/21
Matérias
Divulgação

Nos últimos dez anos, mais de 84 mil armas novas foram registradas em Goiás, que será impulsionado pela flexibilização do Governo Federal

Venda de armas cresce 145% em Goiás e deve crescer mais após flexibilização de Bolsonaro

21/02/2021 · Por Eduardo Horácio

O arsenal de armas no Estado cresceu, entre 2019 e 2020, 145%, de 3.419 para 8.323, segundo dados da Polícia Federal (PF) divulgados pelo jornal O Popular. Nos últimos dez anos, mais de 84 mil armas novas foram registradas em Goiás, que será impulsionado pela flexibilização do presidente Jair Bolsoanaro (Sem Partido). 

O governo federal permitiu no mês passado a aquisição de até 60 armas para atiradores, caçadores até 30, e mudou as regras para armamento e munições, que passam a valer em abril. As mudanças apresentadas no ato do presidente permitem que profissionais das forças armadas, policiais, membros da magistratura e ministério público, por exemplo, possam adquirir até seis armas de uso restrito e não apenas quatro, como atualmente. 

A medida ainda eleva a quantidade de munições de uso permitido de 2 mil para 5 mil. Depois disso, congressistas e instituições contrárias às mudanças decidiram representar judicialmente contra os decretos, mas esportistas e praticantes de tiro garantem que as novas regras impedem o comércio ilegal tanto das armas quanto das munições.

No congresso, deputados e senadores da oposição estudam ir ao Supremo Tribunal Federal (STF) para questionar se o presidente teria competência para mudar essas regras sem que as alterações passem por eles. A movimentação dos parlamentares é apoiada pelo Instituto Sou da Paz, que informou que, no último levantamento feito em Goiás, entre 2016 e 2017, das quase 9 mil armas industriais apreendidas, 2 mil já tiveram registro no Sistema Nacional de Armas (Sinarm). 

 O instituto ainda mostra que 57% das armas apreendidas e que foram usadas em crimes haviam sido registradas no próprio Estado de Goiás. Sobre os calibres, o levantamento feito junto à Secretaria de Segurança Pública de Goiás revela que eles variam de acordo com a região. Na capital e região metropolitana, as principais apreensões são de calibres comuns de pistolas, como o .380 e .40. No interior, os calibres mais encontrados são os comuns em espingardas, como o 22 e 36, menor presença de .38 e revólveres.



Armas Jair Bolsonaro Governo Federal
P U B L I C I D A D E