Poder Goiás

Goiânia, 03/03/21
Matérias
Número de municípios que decidiu adotar maior rigidez era de ao menos 41 na última quinta-feira

Temendo ações de improbidade, 62 prefeitos devem fechar tudo em Goiás

20/02/2021 · Por Eduardo Horácio

Após a escalada de novos casos e estrangulamento nos leitos no interior, pelo menos 62 municípios que estão em regiões consideradas em situação de calamidade decidiram aderir às recomendações da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO). Os chefes de Executivo temem ações do Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO). Ao menos 41 destes serão com maior rigidez. 

O procurador-geral de Justiça Aylton Vechi, chefe do órgão, já havia dito na quarta que os promotores poderiam entrar até com ações criminais, com base na Lei de Improbidade Administrativa, se os prefeitos não seguissem as orientações. Boa parte das cidades do interior insistia em não seguir ou ignorar a proibição de venda e o consumo de bebida alcoólica em bares e similares após às 22 horas.

Segundo o jornalista Márcio Lejoto de Popular, o número de cidades que não vão seguir a nota técnica subiu de 6 para 10, enquanto o das que não decidiram ainda passou de 27 para 5. Sem leitos e sob risco de serem responsabilizados, esses últimos gestores começaram a mudar de ideia sobre a nota técnica e já publicaram decretos municipais acatando as sugestões do governo estadual.



Coronavirus Ministério Público
P U B L I C I D A D E