Poder Goiás
Goiânia, 17/09/19
Matérias
Foto: Jackson Rodrigues

Parque Flamboyant: por já estar adensada, a região terá restrição na altura de prédios

Saiba os principais pontos polêmicos no novo Plano Diretor de Goiânia

28/03/2019 · Por Diene Batista

A prefeitura de Goiânia encerrou a minuta final e deve encaminhar nos próximos dias a proposta de atualização do Plano Diretor à Câmara Municipal para análise. O documento prevê apenas algumas correções em áreas limítrofes do município e um maior adensamento dos chamados ‘vazios urbanos’. São mais de 100 mil lotes vazios, distribuídos em mil áreas da capital. 

Após mais de 50 reuniões técnicas internas e oito audiências públicas para apresentação de relatório, sendo a última com vereadores, a Comissão Executiva do Plano Diretor composta por servidores da Administração Municipal, enviou a proposta à Procuradoria Geral do Município e, depois, o parecer será enviado ao Poder Legislativo. 

Dentre as principais mudanças está a priorização do transporte coletivo e melhor fluidez do transporte individual com o fortalecimento dos Corredores estruturadores subdividido em corredor exclusivo, corredor preferencial e corredor estratégico.

Há também previsão de limites para construção em lugares já bastante adensados como o Jardim Goiás e Alto da Glória, impondo limite de até cinco andares para edifícios nestas localidades. O plano ainda prevê incentivo para construções no centro, com descontos de IPTU e a criação de quatro áreas de desenvolvimento econômico na região Oeste (entre Jardim do Cerrado e Conjunto Vera Cruz); Campinas; Rua 44 e região do antigo Aeroporto. 

A base do prefeito Iris Rezende deve trabalhar para manter o texto original e acredita em pressão de setores para flexibilizar regras de adensamento de áreas valiosas e a inclusão de outros polos com incentivo fiscal.


Plano Diretor Goiânia Câmara de Goiânia Prefeitura de Goiânia