Poder Goiás
Goiânia, 17/09/19
Matérias
Foto: Divulgação

Iris deve chegar em julho de 2020 com boa dose de capital político

Candidato ou não, Iris comanda sucessão de 2020 em Goiânia

18/03/2019 · Por Eduardo Horácio

Pergunta frequente nos bastidores da política: o prefeito Iris Rezende (MDB) será candidato à reeleição ou não? Acostumado a adiar suas decisões e criar expectativa por elas, Iris mantém o silêncio costumeiro. Diz apenas que seu compromisso atual é terminar bem o mandato, cumprir os compromissos com a população, sem demonstrar entusiasmo com um novo projeto. De qualquer forma, candidato ou não, a sucessão municipal na capital passa por ele. 

Ao organizar as contas do Paço Municipal, Iris tem dois anos com muitas obras de impacto em andamento, mais que suficientes para alavancar a imagem de seu atual mandato – entre elas, o BRT Norte-Sul, a Maternidade Oeste e a extensão da Avenida Leste-Oeste, além da pavimentação de 30 bairros na periferia de Goiânia.

Além disso, Iris corre hoje em uma raia solitária. Os governos federais e estaduais patinam em governos que precisam cortar gastos, efetivar reformas e alavancar receitas, sem espaço para grandes realizações nos próximos meses. No Estado, o governador Ronaldo Caiado (DEM) luta para vencer um déficit bilionário nas contas, ‘terremoto’ que Iris já enfrentou e superou.

Somadas as realizações em andamento e o grande apelo popular que historicamente deteve em Goiânia, Iris deve chegar em julho de 2020 com boa dose de capital político para decidir o que fazer de seu futuro. Se avaliar que precisa de mais um mandato pra finalizar as muitas obras e colocar a capital em um novo patamar de gestão, será um candidato muito competitivo. Se decidir se afastar, terá condições de bancar um nome com potencial para vencer.


Iris Rezende Prefeitura de Goiânia