Poder Goiás
Goiânia, 25/05/20
Matérias
Divulgação

Para evitar ficar no escuro, Mendanha disse que pretende testar 300 pessoas por dia para avaliar o comportamento do vírus na cidade. “Inclusive por drive thru"

Gustavo Mendanha estuda dois modelos de escalonamento do comércio em Aparecida

21/05/2020 · Por Pedro Lopes

O prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha (MDB), vem estudando qual modelo ideal para escalonar o comércio local na medida em que o vírus avança. Mendanha admite que manterá o comércio aberto com flexibilizações, mas que os fechará caso os leitos de UTI atingem 70% de ocupação. Hoje, a ocupação gira em torno de 12% e apresenta leve crescimento até o momento. 

“Temos 123 leitos, sendo que 60 são de semi UTIs e o restante UTIs. Temos 12% desses leitos destinados ao Covid-19 ocupados e estamos trabalhando para ampliar ainda mais, e, além disso, também a testagem”, disse. 

Para evitar ficar no escuro, Mendanha disse que pretende testar 300 pessoas por dia para avaliar o comportamento do vírus na cidade. “Inclusive por drive thru, para identificar pessoas que possam ter o contágio, ter sintomas e talvez estejam contaminadas e contaminando outras”, falou. 

O prefeito disse ainda que vem estudando dois modelos de escalonamento. Um deles voltado para o “dia sim e dia não”, no esquema de dias alternados. Ou com alguns dias abertos, seguido por outros fechados.  

A divisão entre os dias seria por segmentos comerciais. “Poderíamos fazer segunda, quarta e sexta, algumas atividades. Por exemplo: quem vende sapato, quem vende roupa, quem vende joia; já na terça, quinta e sábado outros tipos de atividade”, explicou.

O objetivo, afinal, é reduzir as aglomerações. “Nós vamos dividir para tirar um número de pessoas das ruas. A ideia é realmente ter menos pessoas em trânsito, e as pessoas entenderem esse momento delicado que nós vivemos”, reforça. 



Gustavo Mendanha Aparecida de Goiânia Coronavírus