Poder Goiás
Goiânia, 25/05/20
Matérias
Divulgação

Último jogo da Anapolina, já com portões fechados, diante do Jaraguá no Estádio Jonas Duarte

Times do Goianão atrasam salários em clima de indefinição no futebol

20/05/2020 · Por Pedro Lopes

Paralisado há dois meses e sem qualquer perspectiva de que a situação seja resolvida. É este o quadro para os clubes que disputam o campeonato goiano de futebol. Sem calendário e data para retorno pelo menos dos treinos, pelo menos metade dos times que não disputam as competições nacionais, já dispensaram atletas ou o elenco todo, em alguns deles, com atrasos salariais e em acertos de contratos. 

Na Anapolina, time que mal veio para a disputa do Goianão, custou a contornar problemas administrativos e financeiros para montar seu time, está com salários e pagamentos atrasados. 

“Eles pagaram o primeiro salário de janeiro, de dias trabalhados, que já foi descontado do meu salário, por exemplo, três dias", alega o goleiro Rafael Kahn. Três jogadores nem o mês de fevereiro receberam ainda, que é o caso do Rafhael Lucas, do Natan e do Feijão. É complicado, porque já estamos desempregados, porque não temos contratos longos, e ainda sem receber”, comenta. 

O jogador atuou em todos os jogos da Anapolina que tem seis pontos em dez rodadas e amarga a lanterna competição.  Ele se formou na base do Coritiba e tem passagens por Marcílio Dias-SC e Tupy de Jussara-GO, 

De acordo com a diretoria do clube de Anápolis, ainda não foi creditado recursos de patrocínios devido a atual crise pela pandemia do coronavírus. 

“Por isso há atrasos nos salários de fevereiro e março de jogadores e comissão técnica que devem chegar a R$ 200 mil reais e vamos trabalhar para arrecadar esta quantia junto a patrocinadores e acertar com eles”, destaca Washington Rabelo, diretor de futebol da Anapolina. 



FGF Goianão 2020 Anapolina