Poder Goiás


Goiânia, 13/04/21
Matérias
Divulgação

Governador também citou a restrição às ambulâncias das cidades goianas do Entorno de Brasília de entrar na capital

Governo recua e novo decreto é adiado em Goiás

14/05/2020 · Por Pedro Lopes

Em meio à resistência para implantação de isolamento intermitente em Goiás, o governador Ronaldo Caiado (DEM) resolveu adiar o novo decreto do Governo Estadual com restrições para tentar melhorar o índice de isolamento social. 

A gestão Caiado defende o isolamento intermitente, mas o grande desafio é o apoio da sociedade, entidades e gestores para colocar essas novas regras em prática. Durante as reuniões nesta terça-feira, 13, houve resistência de lideranças religiosas e empresários.

À Rádio CBN Goiânia, Caiado disse que a taxa de isolamento, que já foi a melhor do país e caiu para 37%, o que representa não ter "isolamento nenhum".  O governador também citou a restrição às ambulâncias das cidades goianas do Entorno de Brasília de entrar na capital. 

Também não entrou em funcionamento um Hospital de Campanha que foi construído pelo governo federal em Águas Lindas de Goiás, no Entorno. Segundo Caiado, Goiânia não pode simplesmente receber pacientes de cidades que flexibilizou o isolamento sem preparar leitos. 

Um pouco depois, já na TV Anhanguera, o governador citou os dados que mostrou que com isolamento Goiás demorou 29 dias para ter 100 casos de covid-19. Ele afirmou ainda que somente nessa quarta foram 100 casos.

“Estamos hoje colhendo o que plantamos. O aumento é pela ausência de isolamento e não teremos como atender caso haja aumento da contaminação. Não vale a pena fazer um decreto, por fazer decreto. Não pode ser letra morta", disse.

Leia Mais:

Estou tentando construir convergência para decreto, diz Caiado


Coronavírus Governo de Goiás Ronaldo Caiado