Poder Goiás

Goiânia, 16/04/21
Matérias
Divulgação

Uma das ações diz respeito ao aplicativo “Goiás Seguro”, que estará disponível para as versões iOS e Android

Com aplicativo, Governo de Goiás intensifica ações no combate ao feminicídio

20/11/2019 · Por Pedro Lopes

O Pacto Goiano pelo fim da violência contra a mulher será lançado nesta quinta-feira, 21,  coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Social (Seds) com uma série de ações, como a disponibilização do aplicativo “Goiás Seguro”.

A secretária de Estado de Desenvolvimento Social, Lúcia Vânia, destaca compromissos da gestão do governador Ronaldo Caiado: diminuir os índices de feminicídio em Goiás.

“Precisamos atrair para esse pacto todas as instituições, empresas, segmentos sociais, para que o nosso Estado, tão desenvolvido e promissor, não continue exibindo essa marca em relação aos crimes contra as mulheres”, ressalta. 

De acordo com o Atlas da Violência 2019, o número de homicídios de mulheres em Goiás, entre os anos de 2007 e 2017, aumentou 84%. Isso significa que mais de 2 mil vidas foram perdidas no período.

Goiás ainda está no ranking das cinco unidades federativas com maiores índices de violência doméstica, o que denota a adoção de medidas emergenciais. “Aqueles que não cumprirem a Lei Maria da Penha não terão espaço para continuar soltos em Goiás", ressalta o governador Ronaldo Caiado. 

Segundo a titular da Seds, Lúcia Vânia, o pacto goiano prevê ações que extrapolam o campo da Segurança Pública, sempre o mais óbvio neste contexto. “É preciso também que a gente mude o traço cultural dos goianos, que carregam com muita força o machismo”, ressaltou. Para tanto, no escopo da iniciativa está o projeto “Lei Maria da Penha na Escola”, que visa estimular o debate sobre o assunto na rede escolar.

Aplicativo
Além do projeto “Maria da Penha na Escola”, o Pacto Goiano Pelo Fim da Violência contra a Mulher preconiza uma série de outras ações. Uma delas diz respeito ao aplicativo “Goiás Seguro”, que estará disponível para as versões IOS e Android. A partir dele, qualquer cidadão, e não necessariamente somente a vítima, poderá acionar a Polícia Militar pelo celular. Será lançada, ainda, a Sala Lilás, um espaço multiprofissional adequado e exclusivo para a realização de exames de corpo de delito; e intensificado o trabalho do Grupo Reflexivo para Autores de Violência Doméstica e Familiar, por meio de parceria com o Tribunal de Justiça e Ministério Público do Estado de Goiás. 

A Organização das Nações Unidas (ONU) propõe 16 dias de mobilização global da sociedade civil, e, no Brasil, o período foi estendido. Compreende o Dia Nacional da Consciência Negra, e se encerra em 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos.

Vale lembrar, ainda, que o governo federal tem o número 180, para o qual a pessoa que se sente vítima de violência pode ligar para denunciar o agressor e buscar orientações para se proteger e tomar as providências legais.


Goiás Seguro Violência contra mulher Feminicídio Lei Maria da Penha Lúcia Vânia Ronaldo Caiado