Poder Goiás
Goiânia, 17/09/19
Matérias
Reprodução/Sintego

Servidores da educação optaram pelo indicativo de greve em assembleia na tarde terça-feira, 10, caso o estado não atenda reivindicações da categoria

Contra PEC que reduz verba, professores da rede estadual falam em greve em Goiás

11/09/2019 · Por Pedro Lopes

Servidores da educação em Goiás aprovaram em assembleia na tarde terça-feira, 10, início de greve em caso de o Governo não atender as reivindicações da categoria, que luta para minimizar os efeitos da PEC que inclui 2% da Universidade Estadual de Goiás nos 25% da vinculação geral da educação.

A greve será deflagrada se o governo não atender às demandas da categoria para minimizar os efeitos da PEC que inclui os 2% da Universidade Estadual de Goiás (UEG) nos 25% de vinculação geral da Educação. A PEC diminui de 27% para 25% a vinculação total da área e foi já foi aprovada em primeiro turno na Assembleia Legislativa nesta terça-feira. O rito determina ainda uma próxima sessão, prevista para quinta-feira, 12.  Nesse sentido, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás (Sintego) ameaça entrar em greve se o texto original for aprovado sem negociações prévias com a categoria. 

Os professores da rede estadual goiana reivindicam o pagamento do piso salarial, da data-base, além de que retorne as progressões horizontais e verticais, congeladas pela PEC 54, o que exige mudança na Constituição do estado, que determina que, até 2020, as progressões permaneçam congeladas.


Greve Educação Sintego PEC da Educação