Poder Goiás
Goiânia, 24/08/19
Matérias
Divulgação

Especialistas criticam a iniciativa por, segundo eles, aumentar a insegurança em trechos perigosos

Bolsonaro quer fazer agora nas BRs o que Caiado fez em janeiro nas GOs

13/08/2019 · Por Pedro Lopes

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) quer copiar o governador Ronaldo Caiado (DEM) e proibir radares móveis nas estradas a partir da próxima semana. A declaração foi em evento oficial na BR-116, em Pelotas, no Rio Grande do Sul, para inaugurar a duplicação de 47 km da rodovia. "É só eu determinar à PRF (Polícia Rodoviária Federal) que não use mais", disse Bolsonaro ao ser questionado sobre como eliminaria os radares.

 

"Já que o caminhoneiro tocou a buzina ali. Vou deixar bem claro. Não são apenas palavras. Tô com uma briga, juntamente com o Tarcísio [ministro da Infraestrutura], na Justiça, para acabar com os pardais no Brasil. Essa máfia de multa, que vai para os bolsos de uns poucos daqui desta nação. É uma roubalheira esta verdadeira indústria da multa que existe no Brasil. Anuncio para vocês, que a partir da semana que vem não teremos mais radares móveis no Brasil. Essa covardia, de ficar no 'descidão', de ficar no final do 'retão', alguém atrás do mato para multar vocês, não existirá mais", disse o presidente, ovacionado.

 

Em julho, Bolsonaro fez um acordo com o MPF para colocar 2.278 radares em trechos críticos para acidentes sem monitoramento. Além disso, técnicos do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) defendem os radares. Um estudo obtido pela Folha mostra que 8.301 faixas precisam de monitoramento (radar ou lombada eletrônica).


Em janeiro Caiado decidiu abolir o uso de radares temporários nas estradas goianas. Especialistas criticam a iniciativa por, segundo eles, aumentar a insegurança em trechos perigosos. 


Jair Bolsonaro Ronaldo Caiado Radares Móveis Radares Violência no Trânsito